fbpx
field grass sport ground

Desafios da FIFA para a inovação no futebol

A FIFA está em mente com o objetivo de acompanhar as inovações que estão frequentemente acontecendo no mundo do futebol. Em uma ordem para alcançar os resultados dentro do período de 24 meses, a entidade definiu que os problemas traçados vão precisar ser claramente alcançados.

O Futebol está cada vez mais inserido no contexto tecnológico, estando em um constante legado para formular com precisão as necessidades atuais que o mundo do futebol e em desafios específicos que nós precisamos enxergar na tecnologia, além de startups que aos poucos estão se inserindo e revolucionando o mundo da bola.

Não apenas está sendo buscado equipamentos tecnológicos para evoluir a qualidade do espetáculo, mas também em busca de trazer mais suporte aos árbitros, como foi a introdução com sucesso do VAR, além das tecnologias de desempenho que hoje já são utilizadas por diversos clubes do mundo, ajudando na hora de realizar novas contratações.

Estes desafios são buscados e descritos da forma mais clara possível, ao mesmo tempo em que visam permitir com que a inovação aconteça com uma boa estrutura aos clubes, árbitros e federações, sobretudo com a aprovação da FIFA.

Primeiro desafio: Melhorias do sistema de gramado artificial

Um programa da FIFA chamado de “Quality of Program for Football Turf” é o que acabou favorecendo um grande desenvolvimento do futebol nas últimas décadas, oferecendo novas superfícies, como o gramado de jogo. Embora muitas questões técnicas tenham sido abordadas nos últimos anos, atualmente existem grandes necessidades de se encontrar a sustentabilidade.

Boa parte das iniciativas foram legislativas, mas com base na ideia de que a tecnologia está disponível e com que a premissa de que a FIFA necessite de campos, sejam artificiais ou não, mas que atendam aos níveis de desempenhos de campos que possam receber os certificados de qualificação da entidade.

Para evitar maiores dúvidas, existe hoje no futebol um modelo de preenchimento de gramados que é chamado de preenchimento natural ou preenchimento biodegradável, com até mesmo o preenchimento mineral sendo aceito pela FIFA no momento.

Segundo desafio: Inovação eletrônica e performance dos sistemas de rastreamento

O tipo mais comum de EPTS que existe atualmente no futebol é o que é usado em um colete localizado na parte superior em que o jogador estiver vestindo. Já foram realizados vários testes de avaliação e impacto e programas de qualificação sobre EPTS que possam criar uma estrutura conhecida e aprovada dentro das leis do futebol.

Ao ponto em que a tecnologia está evoluindo, a FIFA se mostra interessada em explorar os sistemas que ainda não estão em conformidade com a atual definição, agregando valores ao desempenho do jogo, além de buscar soluções simples e que sejam mais econômicas para o mundo do futebol.

Qualquer um dos dispositivos eletrônicos deve ser capaz de mostrar um valor agregado, não demonstrando nenhum risco para o jogador e tanto para os outros adversários em campo.

Terceiro desafio: Sistema básico GLT

A tecnologia da linha do gol foi a primeira iniciativa oficial e aceita ainda em 2012 pela FIFA, principalmente após falhas de arbitragem que definiram partidas importantes, até mesmo em recentes Copas do Mundo.

O sistema da linha tecnológica do gol oferece uma alta precisão e com recursos que são significativamente menores. A solução básica que é chamada “GLT” deve levar em consideração todos os elementos, que vão desde a instalação e o uso de hardware.

Quarto desafio: Chegada do Video Assistant Referee (VAR)

O sistema Video Assistant Referee (VAR) foi aprovado pela primeira vez em 2016 e incluído nas regras do futebol em 2018, desde então passando a ser utilizado em todas as competições do mundo e tornando o esporte ainda mais transparente em relação às decisões que passam diretamente pela arbitragem.

Esta tecnologia vem ajudando a reduzir os problemas de arbitragem e oferecendo uma estrutura que pode analisar os lances das partidas através de diversas câmeras, tanto para o árbitro principal da partida como também para a equipe que fica posicionada na “cabine do VAR”.

As federações que desejam ter o instrumento do VAR dentro de seus campeonatos precisam da aprovação da FIFA e isso requer a aprovação de uma documentação por parte da entidade, especialmente em relação às etapas que permanecem obrigatórias para o uso ao vivo durante a fase de testes.

Quinto desafio: Tecnologia de impedimentos semi-automáticos

Na mesma linha que a FIFA adotou para aprovar melhorias no jogo como a tecnologia da linha do gol e a pouco tempo atrás a adoção do assistente de vídeo, também foram tomadas decisões oportunas e corretas em relação a decisão de impedimento, a FIFA também está solicitando tecnologias que sejam cada vez mais assertivas para eliminar qualquer problema relacionado ao impedimento.

Isso levou a entidade a adotar uma tecnologia que mede os impedimentos quase que de forma automática, dando praticamente 0% de chance ao erro nesse tipo de exemplo. O uso dessa tecnologia artificial acaba auxiliando os profissionais que estão trabalhando no VAR ao lado da equipe de arbitragem em campo, possibilitando com que esses tomem uma decisão em tempo real.

Sexto desafio: Sistema para monitorar as probabilidades de lesão de um atleta

Cada vez mais no futebol estamos vendo uma busca mais contínua por softwares e sistemas que possibilitem identificar com precisão e assim prevenir ou inibir qualquer chance de as equipes perderem os seus atletas por lesões que poderiam ter sido facilmente monitoradas.

Assim a função dos clubes está sendo de trabalhar em conjunto com esses profissionais e anteceder as informações aos médicos, para que eles também tenham os seus trabalhos mais facilitados.

Para entender melhor o potencial que esses sistemas possuem, a FIFA projeta realizar uma temporada completa, entre 2022-2023, com os melhores softwares que identificam as lesões em atletas. O interesse para a participação deverá começar ainda em março deste ano.

Atualizações da newsletter

Digite seu endereço de e-mail a seguir para assinar a nossa newsletter

%d blogueiros gostam disto: