fbpx

A real dificuldade das micro e pequenas empresas no atual cenário

Campinas- SP 22/10/2020 – A pandemia trouxe inúmeras incertezas aos empresários e com isso, eles se sentem cada vez mais pressionados a buscarem uma solução para a crise.

O universo das micro e pequenas empresas somam mais de 70% do cenário empresarial brasileiro e representa cerca de 27% do PIB, ou seja, um quarto do produto interno bruto no País. Por isso, é importante conhecer a real dificuldade das micro e pequenas empresas no atual cenário

As micro e pequenas empresas têm um papel fundamental na economia brasileira. Segundo uma pesquisa realizada pelo SEBRAE, os pequenos negócios correspondem a mais de um quarto do Produto Interno Bruto (PIB).

O universo das micro e pequenas empresas representa mais de 70% do cenário empresarial brasileiro e representam cerca de 27% do PIB, ou seja, um quarto do produto interno bruto no País.

Esses dados são do SEBRAE, onde são demonstrados números do crescimento do empreendedorismo no Brasil e sua grande participação na economia.

As micro e pequenas empresas evoluíram, entretanto, a maioria delas está concentrada no comércio e prestação de serviços, apenas a minoria está na indústria e no agronegócio.

É por isso que em tempos de crise e de confinamento devido à COVID-19, muitos empreendedores estão enfrentando problemas para cumprir todos os compromissos financeiros.

Os enormes desafios da micro e pequenas empresas 

Insegurança é a palavra que define o atual momento em que o País está vivendo. Diante de medidas para evitar o colapso na saúde, é muito provável que grandes impactos econômicos estejam por vir.

Boa parte da micro e pequenas empresas é formada pelo comércio e prestação de serviços, sendo que a maioria está com portas fechadas e os cidadãos dentro de casa sem injetar dinheiro na economia.

A curto, médio e longo prazo isso vai trazer resultados devastadores para esses empresários que estão remando contra a tempestade para conseguir se manter de pé.

Ações como redução de jornadas e salários, suspensão de contratos de trabalho, renegociação de dívidas e até mesmo demissões de funcionários são algumas das medidas tomadas. Mas, será que isso será o suficiente?

Nesse momento de incertezas, onde ninguém sabe quando tudo isso vai terminar é certo que haverá reflexos para os empresários, bem como seus colaboradores, que em muitos casos tiveram a suspensão do contrato.

Com isso, o poder de compra da população está caindo, ou seja, estão comprando menos e vivendo apenas com o essencial.

Infelizmente, esse impacto será sentido no decorrer do confinamento e também nos meses posteriores, especialmente porque muitas empresas negociaram os compromissos financeiros para pagar depois sem a certeza de que vão conseguir cumprir o acordo.

A situação ainda pode ficar mais difícil se uma solução de imunização da população não surgir rapidamente, pois quanto mais postergar o pagamento das contas, pode coincidir com o pagamento do 13º dos funcionários e, assim, gerar um colapso no financeiro da empresa no retorno das suas atividades.

Diante dessa realidade,  é que a micro e pequenas empresas ficarão com o fluxo de caixa comprometido por um bom período de tempo após a solução do problema sanitário. 

Algumas empresas vão conseguir enfrentar a crise, porém outras terão a saúde do negócio e a competitividade afetada.

Enquanto uma parte delas infelizmente precisará fechar as portas.

O que as micro e pequenas empresas podem fazer para vencer nesse momento?

A porcentagem que vai conseguir passar pela crise causada pela pandemia de COVID-19 são aquelas que estão aptas a fazer algumas mudanças.

É fundamental ter uma gestão de custos, financeiros e tributários. Nesse momento, os gestores precisam usar todas as armas que possuem para conseguir reduzir os impactos, gerar receitas e fortalecer o negócio até o momento em que a economia retome o seu crescimento.

Por isso, organizar as finanças é fundamental, avaliar com a contabilidade a respeito da carga tributária e muitas vezes também é necessário recorrer a linhas de crédito ofertadas pelos bancos.

Diante desse cenário, até as medidas divulgadas pelo Governo devem ser utilizadas, pois isso certamente vai ajudar o empresário se manter focado do seu negócio.

Infelizmente, esse é um momento fora do comum e toda a humanidade precisa fazer mudanças, especialmente os empresários. Algumas empresas estão se reinventando e conseguindo driblar a crise.

Novas ideias podem salvar o negócio. Portanto, nada está perdido.

Agora mais do que nunca, a resiliência empreendedora vai precisar entrar em cena juntamente com a possibilidade de abertura de uma ampla visão de negócios.  

Website: https://www.senhorcontabil.com.br/