fbpx
carreira

Estudo: 82% dos atletas não têm planejamento de carreira

Um levantamento da sportech Soul Brasil Esportes ouviu 476 atletas em um levantamento “inédito” do ramo no Brasil para fazer um diagnóstico de como é a vida de quem vive (ou quer viver) do esporte no Brasil. Os dados revelaram que 82% deles possuem um planejamento de carreira considerado entre médio e ruim, o que pode impactar diretamente em abandono precoce do que poderia ter sido uma vida profissional de sucesso.

Enquanto sobram disciplina e treino para um atleta alcançar uma ótima performance na prática de sua modalidade, faltam conhecimento e suporte para conseguir um bom desempenho em outros aspectos de sua caminhada esportiva.

Os números

Quando o item observado tem a ver com finanças, 83% avaliam seus desempenhos entre médio e ruim. Outro índice que recebe uma autoavaliação negativa por parte de esportistas brasileiros diz respeito ao cuidado nutricional. Os planos alimentares desse público foi avaliado como médio para ruim por 80% dos que responderam a pesquisa.

Os atletas também analisaram suas formações educacionais. 77% admitem que seus estudos estavam entre médio e ruim. Outro sinal que merece atenção foi o cuidado psicológico avaliado como insuficiente (médio a ruim) para 68% de toda a base consultada. Já a gestão da própria imagem houve uma percepção de que ela está entre os níveis médio e ruim para 64% deles.

Os 476 atletas do levantamento da Soul Brasil Esportes representam praticantes de 36 modalidades. Destes, 82% se concentraram em 5 principais (futebol, basquete, futebol americano e futsal). A faixa etária predominante foi entre 14 e 18 anos (46%), seguindo de 18 e 35 anos (44%) e mais de 35 anos (10%).

De acordo com Maria Teresa Publio Dias, confundadora e COO da Soul Brasil Esportes, todos esses dados comprovam que a base do esporte brasileiro tem um caminho longo pela frente. “É compreensível as dificuldades que entidades e clubes enfrentam ao tentar prover as melhores ferramentas para os atletas”, afirma a empreendedora.

Desenvolvimento de carreira no esporte

Com a conclusão de que falta um bom planejamento de carreira para que um atleta no Brasil consiga viver do próprio esporte, a Soul Brasil Esportes organizou uma iniciativa que contempla todos os aspectos indicados como falhos em seu levantamento. Trata-se da Semana Soul Brasil Experience que será realizada entre os dias 23 e 27 de novembro em um formato de evento virtual e totalmente gratuito para atletas, profissionais, investidores e admiradores dos esportes em geral.

Na programação estão nomes como Dafna Blaschkauer (Nike), Glenda Kozlowski (jornalista esportiva), Gabriel Lima (Diretor de Negócios do Real Valladolid Club de Fútbol), Aline Silva (medalhista mundial de Wrestling e fundadora do Mempodera), Paulo Morais (CEO do Espaçolaser), Marcelo Neiva de Lima (Instituto Guga Kuerten).

Ainda estão previstos mais 18 convidados que representam modalidades como futebol, futebol americano, esgrima, handball, tênis de mesa, vela, natação, vôlei, basquete, ciclismo, entre outros esportes olímpicos. Temas como inclusão e retenção da mulher no esporte serão abordadas por atletas e empreendedoras como Aline Silva (Atleta Olímpica de Wrestling). Projetos como Pelado Real Futebol Clube de Júlia Vergueiro e iniciativas de conteúdo e visibilidade como Esportes Dela de Juliana Manzato também estarão em pauta.

As inscrições gratuitas podem ser garantidas na página do evento na plataforma Sympla. Há também a possibilidade de efetuar uma “Inscrição Solidária” que beneficiará a ONG Instituto Futebol de Rua que utiliza o esporte, cultura e educação como ferramentas para o desenvolvimento humano para 2500 alunos em 22 cidades de 12 estados no país.

Deixe uma resposta